Rede dos Trabalhadores/as no Grupo Saint Gobain é fundada em encontro em SP
Após muita discussão, encontros, debates, atividades conjuntas, video-conferências e acima de tudo, muito trabalho, os trabalhadores/as da multinacional francesa Saint Gobain criaram sua rede sindical. Batizada de "Rede dos Trabalhadores/as do Grupo Saint Gobain", ela foi fundada no Encontro dos Trabalhadores/as na Empresa Saint Gobain no Brasil, que aconteceu na Colônia de Férias do Sindicato […]
capa_640x430

Após muita discussão, encontros, debates, atividades conjuntas, video-conferências e acima de tudo, muito trabalho, os trabalhadores/as da multinacional francesa Saint Gobain criaram sua rede sindical. Batizada de "Rede dos Trabalhadores/as do Grupo Saint Gobain", ela foi fundada no Encontro dos Trabalhadores/as na Empresa Saint Gobain no Brasil, que aconteceu na Colônia de Férias do Sindicato dos Vidreiros de São Paulo, na Praia Grande-SP, entre os dias 22 e 25 de outubro.

Foram mais de 20 participantes de 5 sindicatos (Sindiquímica-PE, Sindicrip-SC, Sindicato dos Vidreiros de Porto Ferreira, Sindicato dos Vidreiros de São Paulo e Sindicato dos Vidreiros de São Vicente) que assinaram a carta de princípios da nova rede e prometem construir ativamente mais esta ferramenta de solidariedade entre os trabalhadores e trabalhadoras. A rede, apesar de ser majoritariamente do setor vidreiro, também congrega outros trabalhadores/as do grupo, especialmente do setor de abrasivos e irá buscar outras ramificações do grupo.

O encontro começou com formação e atualidade, com uma análise de conjuntura sócio-econômica apresentada por José Drummond, assessor da secretaria de relações internacionais da CUT e coordenador do projeto CUTMulti (projeto da CUT de Redes em Multinacionais). Após a apresentação, os trabalhadores discutiram o resultado das decisões dos sindicatos sobre a criação da Rede. Na sequência, foram para a discussão de princípios da Rede, definiram uma coordenação e preparam um quadro compartivo entre as diferentes unidades.

No segundo dia de encontro, 24 de outubro, foi discutido o Plano de Ação da Rede assim como a pauta do boletim que será feito, em parceria com a CNQ, para distribuição nos locais de trabalho. Na parte da tarde, para encerrar o encontro com chave de ouro e espírito internacionalista, os trabalhadores/as da Saint Gobain fizeram uma video-conferência com a United Steelworkers, central internacional (EUA, Canadá, Inglaterra etc.)que também congrega trabalhadores do grupo, para planejar ações e conjunto e estabelecer um contato que promete render frutos.

Para José Drummond, que participou desde o começo na construção da rede junto com a central, "A constituição da Rede Saint Gobain e da Owen Illinois é um grande passo para fortalecer o setor vidreiro na área internacional, preparar os sindicatos para que tenham melhores condições de negociação com essas multinacionais. E um sindicato forte é um fortalecimento da CUT em sua estratégia de construção de redes sindicais em multinacionais".

Fábio Lins, secretário de relações internacionais da CNQ, pondera que "a CNQ e a CUT acertaram ao fazer o investimento político e financeiro porque a reação dos sindicatos foi muito positiva ao serem desafiados a fazer a reforma sindical na prática, ou seja, criando uma aliança de solidariedade nacional e internacional. E essa rede nasce muito forte, com apoio da IndustriAll, com apoio da CGT da França e do USW". Para ele "a motivação extrapola a equiparação de benefícios e remuneração no Brasil.Os sindicatos demonstraram que estão dispostos a fazer uma grande campanha mundial pelo trabalho decente dentro da Saint Gobain".

O próximo passo será buscar outros setores da CUT que tenham a Saint Gobain em suas bases, como a Contracs, do comércio, e a CNM, dos metalúrgicos etc. e posteriormente internacionalizar a rede.

Fonte: http://www.cnq.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=708%3Arede-dos-trabalhadoresas-do-grupo-saint-gobain-e-fundada-em-encontro-em-sp-&catid=39%3Aredes